MANIFESTO – VILA SANTO ALEIXO – Taubaté SP

Posted in Social with tags , , , , , on 28 outubro , 2008 by Luciano Dinamarco

Amigos, é muito importante você assinar o manifesto  para a preservação da Vila Santo Aleixo em Taubaté SP

Para assinar o manifesto  on-line: 
http://spreadsheets.google.com/viewform?key=pCHp_9syWmvnYR4GNMOrAXg

Nós cidadãos, com o intuito de obter a necessária preservação dos poucos prédios históricos restantes em nossa Taubaté, monumentos arquitetônicos testemunhas de uma época marcante de nossa história, do nosso Estado, de nosso País e, principalmente de nossa Gente, vimos nos manifestar sobre a Vila Santo Aleixo.

Situada na Praça Santa Teresinha, a Vila Santo Aleixo, permanece há mais de um século mantendo sua serenidade, sobressaindo-se altaneira, envolta em verde ainda hoje exuberante, sobre uma selva de pedra, sobre o desleixo e o descaso dos agentes (ir) responsáveis.

A Vila Santo Aleixo, nascida Chalé Lopes Chaves, foi construída aproximadamente em 1872 para servir de residência ao eminente senador paulista Joaquim Lopes Chaves, que atuou política e administrativamente em todo o Vale do Paraíba e São Paulo, tendo sido um dos responsáveis pela construção do primeiro Grupo Escolar de Taubaté, que leva o seu nome.

O Dr. Lopes Chaves e sua família residiram no chalé por vinte anos, até a mudança para a cidade de São Paulo. A casa então foi cedida, por laços de família, ao promotor Antonio Pereira da Silva Barros, também figura expoente da política paulista. Por volta de 1909, com a morte do Dr. Lopes Chaves, a casa passou a pertencer à família do Coronel Marcondes de Mattos e, em 1919, com o falecimento do Coronel a posse total do imóvel passou para o casal Pereira da Silva Barros.

Em 1920, o Chalé Lopes Chaves foi adquirido pela Mitra Arquiepiscopal do Rio de Janeiro, para servir como residência de verão de Dom Joaquim Cavalcanti de Albuquerque Arcoverde, primeiro cardeal brasileiro e latino-americano. Um dos fatores determinantes para a escolha da cidade de Taubaté como sua residência de verão foi a efervescência política da região causada pela presença de inúmeros membros do clero taubateano que atuavam na província, provavelmente devido sua localização próxima da Basílica de Aparecida, bem como a grande amizade com monsenhores Antônio Nascimento e Castro e José Valois de Castro, cuja casa já freqüentava em Taubaté desde 1906.

O cardeal Arcoverde foi um apaixonado pelo Chalé ao qual deu o nome de Vila Santo Aleixo, em homenagem ao santo de sua devoção e ao seu título cardinalista. Dedicou ao casarão, o seu estimado recanto, imensa atenção e carinho, decorando-o com requinte condizente com o nível arquitetônico do edifício.

Em função da precariedade de sua saúde teve de se retirar definitivamente para o Rio de Janeiro em 1930, quando a propriedade passou às mãos do médico. José Luís de Cembranelli, ilustre taubateano que se tornaria prócer da pesquisa da cura do câncer, reconhecido mundialmente.

Em 1931, a casa foi adquirida pela família de Jorge José Nader que cuidou, preservou e com ela permaneceu até 1996 quando a vendeu à UNITAU, que ali estabeleceu, por pouco tempo, a Fundação Musical da Universidade.

De estilo denominado Ecletismo, a Vila Santo Aleixo é um raro exemplar da arquitetura semi-rural, traduzindo em sua existência toda a história de uma sociedade baseada na riqueza provinda da fase cafeeira, com todas as modificações que a nascente tecnologia da época foi capaz de apresentar.

Hoje a Vila está inserida na área central de Taubaté, mais especificamente ainda, em uma das áreas mais nobres do cenário urbano da cidade, e que merece ser conservada e restaurada, urgentemente, como um todo, ou seja, tanto sua área verde como suas edificações.

É um dos prédios residenciais mais belos e únicos de todo o Estado de São Paulo. Em Taubaté faz parte de um triângulo de prédios históricos e tombados: a Praça de Santa Teresinha, a Igreja do Rosário e o Palácio Episcopal.  E ao invés de a Vila Santo Aleixo ser transformada em um local que promova a cultura, o lazer, e aberta ao público para que todos possam saciar a curiosidade de conhecê-la, de apreciá-la e de desfrutar o seu espaço verde, esta raridade, esta maravilha arquitetônica, esta testemunha impassível de nossa história está prestes a ser um reles portal de entrada para espigões de concreto. A UNITAU pretende vendê-la à iniciativa privada para a construção de torres de concreto, aproveitando-se da especulação imobiliária crescente em nossa cidade, principalmente em torno da Praça de Santa Teresinha.

Nós cidadãos abaixo-assinados manifestamos nossa indignação face ao fato de que assunto de tamanha magnitude histórica seja tratado sem a transparência e a necessária discussão pública.

Pretendemos, com mais esse movimento, que a UNITAU, a Câmara e a Prefeitura Municipal se sensibilizem com o que resta do nosso patrimônio histórico, respeitem o gabarito de altura em volta de bens tombados, reformulem suas metas, seus ideais, repensem seus atos, escutem a população e voltem também suas prioridades para a preservação de nossa história.

Para assinar o manifesto  on-line: 
http://spreadsheets.google.com/viewform?key=pCHp_9syWmvnYR4GNMOrAXg

VI Festa do Saci e Seus Amigos (2008) São Luiz do Paraitinga SP

Posted in Social on 24 outubro , 2008 by Luciano Dinamarco

VI Festa do Saci e Seus Amigos (2008)

Sexta feira, 31 de outubro

Coreto Elpídio dos Santos
21:00 hs. – Abertura
Passeio saciclístico noturno
21:30 hs. – Show com músicos locais
22:30 hs. – Show musical com Dinho Nascimento

Sábado, 01 de novembro

A partir das 10:00 hs.:
– Brincadeiras na praça Oswaldo Cruz
– Trilha enigmática na Estação Radical 90° (arborismo)Coreto Antônio Nicolau de Toledo (calçadão):
– A partir das 14:00 hs.:
– Trupe Agressiva de Teatro
– Apresentação de peças de teatro pelos alunos da rede municipal
– Apresentação de causos
– Saciranda e os bonecos João Paulino e Maria Angu
– A partir das 17:30 hs.:
– Márcia Mah
– Levi Ramiro

– A partir das 19:30 hs:
– Flautins do Matuá com saída do Largo das Mercês
– Saciata com saída do Camping do Saci

Coreto Elpídio dos Santos :
A partir das 22:00 hs:
– Quarteto Pererê
– Ivan Vilela

Domingo, 2 de novembro

Largo das Mercês:
A partir das10:00 hs.:
– Oficinas de bonecos de barro e de materiais recicláveis
Resultados dos concursos e premiação
– Bolo e encerramento

Antonio Nóbrega

Posted in Social on 23 setembro , 2008 by Luciano Dinamarco



Antonio Nóbrega

Upload feito originalmente por lrdinamarco

Emoldurado por uma surpreendente e colorida queima de fogos, Nóbrega fechou a II Semana da Canção Brasileira com uma emocionante ciranda em torno do coreto Elpídio dos Santos, fazendo darem as mãos músicos, crianças, turistas, luizenses, sorveteiros, pipoqueiros, coroinhas…

Antonio Nóbrega

Posted in Social on 23 setembro , 2008 by Luciano Dinamarco



Antonio Nóbrega

Upload feito originalmente por lrdinamarco

Antonio Nóbrega, o multiartista que dispensa quaisquer apresentações eis que mestre das artes cênicas, música e dança, foi do frevo ao choro, reverenciando todos os ritmos nacionais.

Ceumar e Cinira dos Santos

Posted in Social on 23 setembro , 2008 by Luciano Dinamarco



Ceumar e Cinira dos Santos

Upload feito originalmente por lrdinamarco

Dona Cinira, viuva de Elpídio dos Santos, foi mais uma vez a grande anfitria da festa, recebendo em sua casa a visita de todos os artistas e músicos, com direito a caldinho da Nena e sarau com Negao e Joao Gaspar (Grupo Paranga) arrasando em seus instrumentos, sob os olhos atentos de Dante Ozzetti. Dona Cinira, aqui com Ceumar, recebeu alem de Dante, o carinho e a visita de Suzana Salles, Tata Fernandes, Sergio Molina e tantos outros.

Ceumar e Camilo

Posted in Social on 23 setembro , 2008 by Luciano Dinamarco



Ceumar e Camilo

Upload feito originalmente por lrdinamarco

Com mineirice e simplicidade que denotam a paradoxal sofisticação da artista, a grande Ceumar, em oficina de composição da II Semana da Canção Brasileira em São Luiz do Paraitinga, provou que quem pode, pode e que não são necessários mais do que dois acordes para fazer a diferença. Para que floresça “a essência, para que a musica nos leve e nos eleve”. Acompanhada do menino da terra Camilo, filho de Nho Lambis (eterno baterista do Grupo Paranga), a artista se emocionou e emocionou aos presentes cantando a linda e singela “Pecadinhos”, dos amigos Tata Fernandes e Zeca Baleiro.

Galvão Frade

Posted in Social on 23 setembro , 2008 by Luciano Dinamarco



Galvão Frade

Upload feito originalmente por lrdinamarco

Galvão Frade, Secretário de Cultura de São Luiz do Paraitinga e compositor de marchinhas que vão na boca do povo como Juca Telles e Helena, mostra o riso largo diante do evento que prestigia a cidade de Elpídio dos Santos